Top 20 Mercados de Pesquisa Online em 2011

Escrito por Enric Cid em 3 de Enero 2012

Assim como fizemos no ano passado, publicaremos a seguir uma tabela com os 20 principais mercados de pesquisa no mundo, criada a partir dos dados apresentados anualmente pela ESOMAR em seu informe para o setor (dados de 2010).

Destacamos:

  • A grande maioria dos mercados apresentou um crescimento na realização de pesquisas online, com destaque para Espanha e Itália, experimentando crescimentos percentuais de 6% e 5%, quase dobrando a cifra percentual do ano anterior, posicionando-se em 13% e 12% respectivamente, – é importante deixar claro que parte do crescimento espanhol no online em termos absolutos explica-se também por uma correção em 2011 da estimativa do tamanho total do mercado-.
  • Mercados  como Alemanha ou Japão seguem experimentando crescimentos importantesde 20% de seu faturamento online comparado a 2009, e se situam em 35% e 40% respectivamente, superando de forma significativa a média global de 22% na porcentagem de gastos com pesquisa online.
  • Por outro lado, já se observam sinais de maturidade em mercados como o Reino Unido, que diminui -13% – e perde três pontos percentuais -, Finlândia (-8%), e Bélgica (-23%). O caso finlandês se explica pela diminuição do mercado total, mas o caso belga é muito mais chamativo: passa de 20% (cifra ainda abaixo da média) para 15%.
  • Outros mercados online como Estados Unidos ou Nova Zelândia aumentam sua participação nesse montante graças ao crescimento total de seus mercados, mas diminuem em termos percentuais. Os Estados Unidos perdem dois pontos situando-se nos 20% (abaixo da média global) e a Nova Zelândia perde três.
  • Da lista do ano passado caem Irlanda (11 USm$, 19ª posição) e Taiwan (9 USm$, 20ª posição), -que este ano não apresentaram os gastos de acordo com a metodologia de pesquisa-, e a Bulgária (11 USm$ em 2009 para 18 USm$ em 2010) que passa a ser o vigésimo primeiro mercado, ficando de fora da tabela.
  • Ingressam no ranking a China (56USm$, na 12ª posição, com uma percentagem de 5%),  Rússia (32USm$, na 18ª posição, com 10%), e  Áustria  (34USm$, na 16ª posição com 20%), dentre os quais nenhum deles dispunha de dados referentes a 2010.

Qual a situação da América Latina?

O que mais chama a atenção é ver como as associações locais oferecem apenas os dados sobre a porcentagem de pesquisas por metodologia. Dos 20 principais mercados de pesquisa no mundo (em gasto total, não só online) somente três países não oferecem dados de gastos separados por metodologia, e dois deles estão na América Latina: Brasil e México. O terceiro é a Índia, que é o vigésimo mercado mundial, e seu tamanho é aproximadamente 40% do mexicano.

Hoje, somente cinco países latino-americanos oferecem esses dados de forma mais detalhada: Bolívia, Nicarágua, Panamá, Venezuela e Peru. Destes, o Peru é o único que reporta atividade em online correspondente a 4% de seu faturamento (2USm$).

Onde estão os dados do Brasil, México, Colômbia, Argentina, Chile, etc.? (Caso esses dados sejam fornecidos pelas associações locais, nós infelizmente desconhecemos porque a ESOMAR não os reproduz).

http://www.netquestbrasil.com.br/blog/top-20-mercados-de-pesquisa-online-em-2011/

Anúncios

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.