A vida em beta pede um sujeito transformador

A professora e coordenadora do Núcleo de Estudos e Negócios em Desenvolvimento de Pessoas da ESPM-SP (Pós-Graduação), Adriana Gomes, falou para uma plateia lotada, com mais de 160 pessoas, em um dos auditórios do CONARH, Congresso Nacional sobre Gestão de Pessoas, organizado pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), em 19 de agosto.

Seu tema central girou em torno da formação de profissionais transformadores. “O mercado quer profissionais proativos, que solucionem problemas, que trabalhem em equipe e que tenham boa comunicação oral e escrita, mas quando os contratam, não deixam eles agirem e trazerem suas ideias”, disse Adriana, ressaltando que as empresas desejam cada vez mais profissionais multicompetentes, com superformação, multiculturais, inovadores, que pensem digital e transdisciplinarmente, sejam autoadministradores, empreendedores e que tenham competências emocionais. A plateia atenta parecia concordar com tudo balançando a cabeça de modo afirmativo.

 

Matéria completa…

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.