nova metodologia de pesquisa de classe social em 2015


Brasil terá nova metodologia de pesquisa de classe social em 2015

Principais diferenças para o critério utilizado atualmente é substituição da renda declarada por variáveis indicadoras de renda permanente e o uso da Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE que amplia a abrangência da ferramenta

iG São Paulo | 08/12/2014 19:06:12

  • sprite-ig.png
  • sprite-ig.png

O Brasil terá a partir de janeiro um novo critério para pesquisas de classificação econômica, que estratificam a sociedade segundo a renda e poder aquisitivo.

A nova regra de classificação divide a população brasileira em seis estratos socioeconômicos denominados A (rendimento de cerca de por volta de R$ 18.800), B1 (por volta de R$ 7.800), B2 (por volta de R$ 4.000), C1 (por volta de R$ 2.250), C2 (por volta de R$ 1350) e DE (por volta de R$ 600).

Basicamente, os questionários de pesquisa pontuam respostas dos entrevistados como número de eletrodomésticos, infraestrutura da residência (água encanada, por exemplo), grau de escolaridade do chefe da família, entre outros, para após realizar a somatória, indicar em que faixa econômica se encontra.

A Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (Abep) informou nesta segunda-feira (8) que o Novo Critério de Classificação Econômica Brasil tem em suas principais diferenças para o critério utilizado atualmente, a substituição da renda declarada por variáveis indicadoras de renda permanente e o uso da Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE que amplia a abrangência da ferramenta. Ele não é de uso obrigatório, mas deve nortear as pesquisas já que empresas desse setor no Brasil são autorreguladas pela Abep.

O novo modelo para o Critério Brasil foi formulado pelos professores brasileiros Wagner Kamakura (Rice University) e José Afonso Mazzon (FEA-USP).

Para o desenvolvimento do modelo foram usadas 35 variáveis indicadoras de renda permanente (como educação, condições de moradia, acesso a serviços públicos, posse de bens duráveis a composição familiar, o porte dos municípios e a região onde estão localizados como parâmetros fundamentais para a segmentação e comparação entre os padrões de consumo dos brasileiros.) que permitiram a segmentação dos domicílios brasileiros em estratos e o posterior estudo da relação entre nível sócio-econômico e potencial de consumo dos domicílios em relação a 20 categorias de produtos e serviços (dentre elas, alimentação no domicílio e fora de casa, artigos de limpeza, vestuário e saúde e medicamentos).

O Critério Brasil é uma evolução do indicador criado pela Associação Brasileira de Anunciantes, no final da década de 1960, para definir uma segmentação mais apropriada da população em classes econômicas para fins relacionados ao consumo – como a avaliação do poder de compra de grupos homogêneos de pessoas para a determinação de públicos-alvo mais fieis para os diferentes mercados de produtos de massa e dos preços de anúncios em veículos de mídia.

Fonte: IG

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s